RSS

Você nunca mais vai amar do mesmo jeito

15 set

Gostaria de dar uma má notícia: o amor morreu. Sim, ele morreu.

Respira fundo

 

Espero que daqui para a frente você nunca mais ame como sempre amou. E o pior, isso lhe fará bem.

Falei em outro artigo sobre o apego e os desastres causados por ele.

Quando dizemos que amamos uma pessoa a que estamos nos referindo de fato?

Normalmente é o que chamo de um interesse personalista-apegado-erótico-carente.

Raro quem ama de forma lúcida.

Andei meditando sobre o assunto e cheguei a um pensamento simples.

O amor não é um sentimento, mas um espaço psicológico para que os sentimentos aconteçam. Nele cabem todas as emoções.

O amor me parece muito mais um campo aberto para que outras emoções surjam. Você ama uma pessoa apesar da raiva, do medo, da culpa, da inveja e da admiração que sente por ela.

O amor me parece muito mais um anfitrião que vai permitindo que os convidados transitem por todo o espaço da casa. Ele promove a festa e na maior parte das vezes usufrui muito pouco do clima festivo. Ele se alegra em ver a movimentação das pessoas. Ele dilui tensões, afaga os mais carentes, dá liberdade para os mais expansivos e obstrui o canal para os mais destrutivos.

O amor é o anfitrião da alma.

Como todo bom anfitrião ele sabe que todos estão só de passagem. Vieram de suas vidas livres e voltarão a elas, sem apego. Ainda que prefira alguns mais do que outros mesmo assim deixa que todos os sentimentos ou pessoa passem por ele e se beneficiem. A cachoeira não cobra impostos para refrescar as pessoas que se banham nela. Sua força é tão grande e poderosa que o simples fluir de si mesma basta.

A alegria desse amor é ver todos brincando de ser feliz sem se opor ou ditar uma regra para que a felicidade aconteça.

Na hora do medo o amor é aquele pano de fundo que dá o contexto para a pessoa. Ele não se opõe ao medo, mas o abraça e apoia, pois sabe que é algo passageiro e fruto de uma defesa do ego.

Esse amor se dá muito bem com o ego assim como um adulto se relaciona com uma criança sapeca. Sabe que raiva é uma reação ilusória de força e como um toureiro habilidoso deixa que tudo passe por ele sem se deter a nada.

O ciúme para esse amor é mais um jogo de controle inócuo. A pessoa que ama (tendo em vista essa dimensão) incita liberdade, bem-estar e movimentos em busca da felicidade alheia.

É um grande exercício mental de ampliar um repertório vivencial.

Esse amor sabe que a vida é uma grande jornada onde o sentimento de MEU é uma prisão para si e para os outros.

Se você quiser saber como entrar em sintonia com essa dimensão presente em você faça um exercício simples com a pessoa amada.

Quando algo te incomodar tente tirar a sua personalidade da história e imagine o que possibilitaria o livre caminhar feliz dela. Tal como se fosse um amigo querido. Se sua resposta original for diferente dessa é sinal que ainda está apegado ao falso-amor.

Mas se sua resposta for: “sim, ela será mais feliz sem que esteja atenda ao meu desejo ou esteja do meu lado”, liberte essa pessoa de você.

Como um bom anfitrião de sentimentos esse amor saberá que a qualquer momento uma nova festa pode ser formada. A vida sem limites e com amplos caminhos disponíveis é seu destino.

Agora se pergunte se você ama uma pessoa ou você ama uma pessoa para você!

Talvez uma boa prática seja dizer internamente ao invés de eu TE amo, dizer O QUE BRILHA EM VOCÊ EU AMO.

Antes de dizer que isso está muito longe, tente, apenas tente.

 _________________________________

Outros artigos relacionados  

Por que meu relacionamento acabou?

Como exorcizar da sua vida alguém que se relacionou amorosamente?

Amor e histórias inacabadas

Amor profundo

As várias máscaras do amor

Homens frágeis e mulheres fortes

O romantismo pode ser a coisa menos romântica do mundo

3 vilões dos relacionamentos: carência

3 vilões dos relacionamentos: apego

3 vilões dos relacionamentos: jogos de poder

Por que tenho vontade de voltar com o ex?

Por que me sinto ligada em duas pessoas?

Por que é tão difícil terminar um relacionamento?

Como voltar a ter confiança depois de tanta desilusão amorosa?

7 erros que quase toda mulher linda, sensível e inteligente comete para ficar solteira!

Machucaram meu coração

O que uma mulher não quer quando recusa sexo!

Guerreiro Sábio – Homem do terceiro estágio

“Isso nunca aconteceu comigo!” Broxar parte 1

Ejaculação precoce, tamanho do pênis e hábitos ruins

Plena – Mulher do Terceiro Estágio Sua puta!

Patinho feio (ou bonito) 3a parte

Dona dos próprios dedos – Masturbação feminina

Diferença entre o cérebro masculino e feminino

About these ads
 
9 Comentários

Publicado por em 15/09/2011 em Amor

 

Tags: , ,

9 Respostas para “Você nunca mais vai amar do mesmo jeito

  1. Michele Amorim

    17/10/2011 at 3:48 PM

    NOssa, como esse texto me ajudou a enxergar o que estava na minha cara, obrigada Fred. Vou libertá-lo agora!

     
  2. Felipe Giannella

    16/09/2011 at 1:45 PM

    Muito bem escrito Fred.! Verdade que esse parece ser o jeito mais livre e mais verdadeiro de se amar os outros. Com a ideia de oferecer, de pensar no outro e de pensar na felicidade deler acima dos seus desejos e necessidades não-reais, ligadas ao apego, orgulho, ego. Ninguém é responsável pela nossa felicidade. E isso é bom. Nos dá liberdade frente a tudo, não dependemos de nada nem de ninguém para sermos felizes. Não vou dizer que seja fácil, na verdade é bem difícil. Mas vale a pena tentar. Por ela, sempre vale.

    Abraço!

     
    • blogsobreavida

      17/09/2011 at 11:25 PM

      Não é fácil, mas até chega a ser simples, não se colocar entre você e a realidade…

      Abraço

       
  3. Selma

    16/09/2011 at 8:10 AM

    Que texto lindo! Totalmente completo! Penso que você já atingiu um alto estágio de maturidade para conseguir definir com tanta clareza o tema tão complexo e ao mesmo tempo tão simples.
    Sorte que nas horas vagas você dança dabke e lava pratos, sinal de que você existe mesmo!!!
    Muita luz!

     
    • blogsobreavida

      17/09/2011 at 11:27 PM

      Não cheguei não Selma, estou bem longe disso, mas é que minha mente alcança o que meu coração aspira ser. Estou treinando esse amor… assim como o dabke! hahahah

       
  4. Regina Mizael

    15/09/2011 at 7:54 PM

    A felicidade é um estado, e o Amor um exercício ( da autora)

     

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 542 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: